ArtículosDestacadoDonbass/Este de Europa

La «Primavera de Minsk», que se puede convertir en el expansivo «Invierno de Kiev»

A “PRIMAVERA DE MINSK”, QUE SE PODE REVERTER NO EXPANSIVO “INVERNO DE KIEV”!

A fase de perda do “hegemon”, cuja matriz anglo-saxónica nos Estados Unidos começou no genocídio das nações de autóctones que encontrou pelo caminho (na “conquista do oeste selvagem”) e na tomada de territórios ao México a fim de culminar o processo de expansão e foi por aí fora, (até disseminar 800 bases militares espalhadas pelo mundo e garantir a contínua IIIª Guerra Mundial contra o Sul Global, que perdura há 75 anos, no seguimento imediato da IIª Guerra Mundial), está a entrar em declive de poderio e em irremediável eclipse nos relacionamentos internacionais.

Nos Estados Unidos, a nível interno, os problemas nunca resolvidos e cada vez mais agravados, resultantes de tensões humanas que fermentam desde os tempos da expansão e dos tempos da escravatura colonial, estão cada vez mais tensos podendo desencadear caos, terrorismo, ou mesmo num conflito de grandes proporções, até por que a classe média estado-unidense jamais se consolidou por falta de cultura de unidade, de coesão e de coerência colectiva.

Toda a Europa, no momento em que os emergentes euroasiáticos procuram relacionamentos integradores e articulados no âmbito das Novas Rotas da Seda, é um terreno de telúricas disputas e as oligarquias europeias, à medida que a enorme classe média mingua, esgotando-se a vassalagem, vai ter duma forma ou de outra, que optar.

As “revoluções coloridas” e as “primaveras árabes”, ou outras similares (entre elas um jihadismo fundamentalista sunita/wahabita), estão a ser um dos últimos recursos do “hegemon” desde a implosão soviética, o desaparecimento do bloco socialista europeu e o fim do Pacto de Varsóvia com a reconversão da NATO a um novo figurino, mas dada a sua caótica fermentação, são o caminho aberto para a repescagem de redes “stay behind” de carácter neofascista e neonazi…

Nesta década de viragem, pelas razões históricas, antropológicas, ideológicas, económicas e financeiras acumuladas, o episódico que constitui “A PRIMAVERA DE MINSK, PODE-SE REVERTER NO INVERNO DE KIEV”!…

 

01– A Rússia cultora de seu passado no quadro da União Soviética, sente o nazismo e o fascismo como nenhum outro povo na Eurásia, apenas acompanhado a leste por alguns como a China, que sofreu os impactos sucessivos dos impérios coloniais britânico e japonês, ou a Coreia, devassada pelo imperialismo em época do começo do empertigamento do “hegemon”, ou o Vietname heroico, que derrotou a tremenda agressão imperial…

A decadente Europa contemporânea jamais sentiu o nazismo e o fascismo ao mesmo nível de sensibilidade dos povos russo, chinês, coreano, ou vietnamita, pelo contrário: na altura em que o “hegemon” promove “in extremis” as redes “stay behind” alicerçadas na esteira da própria NATO, as malparadas oligarquias estão confundidas, indecisas e temerosas, apanhadas entre o quadro de completa vassalagem e o quadro das novas opções que se abrem, muitas delas sem melhor ou sem mais alternativa!

Com esse tipo de oligarquias a comandar os destinos da “representatividade democrática”, a Europa está a retalhar-se novamente, sem remissão, abrindo também espaços, para além das repúblicas bálticas, da Polónia, e da Ucrânia, ao neonazismo, ao neofascismo e aos ultranacionalistas, como nunca antes depois da IIª Guerra Mundial!

Uma parte dessas oligarquias aliás, foram autoras de nazismo e de fascismo e em relação aos espelhos que redundam desde o passado, cultivam irremediavelmente as miragens saudosistas, que em relação a África se manifestam por que, sente-se com os olhos do sul: não houve efectiva descolonização mental!…

 

02– Assim as “revoluções coloridas” como a “Laranja” (2004/2005), ou a da “Praça Maidan”(2013/2014), que tiveram Kiev no epicentro, estão na base do “empolgamento” contrarrevolucionário e terrorista, de natureza neonazi e neofascista, que fermenta desde as entranhas da própria NATO e “invade” a “representatividade democrática” por toda a Europa, no acelerar das consequências do “Brexit”, também ele intimamente inspirado pelos anglo-saxónicos do “hegemon”!

Esse tipo de contrarrevoluções que foram pela primeira vez experimentadas durante a implosão da URSS (o tandem Gorbatchev/Ieltsin tem que ver com isso) e na Jugoslávia que por causa disso deixou de existir e se retalhou até chegar à migalha artificiosa de Kosovo, continuam a ser uma “ementa” aplicável pelo “estado profundo”, pelo “hegemon” e muito particularmente quando o Partido Democrata assume o turno no poder nos Estados Unidos!

Com o advento de Obama III, Joe Biden, continua a ser essa a inspiração e Minsk (capital da Bielorrússia) o alvo que se seguiu, até por que a administração de Donald Trump, não estando tanto para aí virada, também nada fez para obstruir, ao nível da Casa Branca, programas que já vinham detrás, cultivados pelo Pentágono, pela CIA, pela NATO e por tabela, por alguns dos sectores mais ultraconservadores das oligarquias da União Europeia e do Reino Unido!

F:\PRODUÇÕES\2021\MJ - MAI 21\MINSK-KIEV - 02..png

Imperialismo prepara em Minsk uma revolução colorida, como na Ucrânia? – JOSÉ REINALDO CARVALHO – Não restam dúvidas de que as manifestações exigindo sua derrubada fazem parte de uma ofensiva a favor dos EUA e da União Europeia – https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/mundo/66276/imperialismo-prepara-em-minsk-uma-revolucao-colorida-como-na-ucrania

Em Minsk os cenários e os argumentos ideológico-políticos, são cópia de tantas outras iniciativas já antes experimentadas, entre elas a da “Revolução Laranja” e a da “Praça Maidan” em Kiev!

 

03– A Federação Russa entretanto foi percebendo o historial e a antropologia da engrenagem do “hegemon” eminentemente anglo-saxónico, de que teve os primeiros sinais directos há mais de 150 anos (30 de Março de 1867), quando o Alasca foi vendido e passou a ser um dos componentes dos Estados Unidos.

Percebeu também, desde o tandem Gorbatchev/Ieltsin e por experiência própria, a razão de ser da ementa da contrarrevolução que passou a surgir com os rótulos de “revolução colorida”, ou de “primavera árabe”, o que isso queria dizer em termos de ingerência, de manipulação, de desagregação, de neonazismo, de neofascismo, de caos e de terrorismo.

A última experiência própria tem sido com o papel de agente fantoche que é Navalny, associado ao que vem acontecendo em relação à União Europeia e seus componentes filtrados do modo que o “hegemon” escolheu e muitos deles reduzidos à impotência de “carne para canhão” à mercê do espectro neonazi e neofascista!

Quando o “hegemon” começou a agitar no sentido da ingerência e manipulação de mais uma “revolução colorida”, desta feita em Minsk, já a Rússia levava largos anos a se preparar nos termos das tão necessárias contramedidas, que foram agora formalmente anunciadas pelo Presidente Putin no Relatório Anual de seu Governo perante a Assembleia Federal, em estreita sintonia com a multipolaridade emergente mais significativa (China, países da Ásia Central, países do Sudeste Asiático, Irão, Síria…).

F:\PRODUÇÕES\2021\MJ - MAI 21\MINSK-KIEV - 01..jpg

Discurso anual do Presidente Putin perante a Assembleia Federal – «Todo o mundo, infelizmente, parece já estar acostumado à prática de sanções econômicas ilegais, politicamente motivadas, a tentativas grosseiras de alguns de impor a sua vontade a outros à força. Hoje essa prática está se transformando em algo mais perigoso, estou falando de fatos recentemente conhecidos de tentativa direta de organizar um golpe de Estado na Bielorrússia e de assassinar o presidente deste país [Aleksandr Lukashenko]. Mas, ouçam, podemos encarar de diversa maneira o [antigo] presidente da Ucrânia [Viktor] Yanukovich, ou [Nicolás] Maduro na Venezuela ou, repito, podemos encarar de diversa maneira Yanukovich, que também quase foi assassinato e retirado do poder através de um golpe armado, podemos ter diferentes opiniões sobre o presidente da Bielorrússia Lukashenko, mas a prática de organização de golpes de Estado, planos de assassinatos políticos, incluindo de altas figuras do Estado – isso é demais. Isso ultrapassa todos os limites» – https://br.sputniknews.com/russia/2021042117373857-discurso-anual-do-presidente-russo-vladimir-putin-perante-assembleia-federal/; https://dossiersul.com.br/putin-reescreve-a-lei-da-selva-geopolitica-pepe-escobar/

As Forças Armadas da federação Russa, face à evolução da situação e ao caracter do exercício militar “Defender Europe 2021”, correspondeu numa escala misto de ameaça, misto de persuasão, sem sair do seu próprio território, ou da Bielorrússia, em função do Tratado existente!

Por outro lado, a neutralização pelo FSB (serviços de inteligência da Federação Russa) dos que estavam apostados no golpe final da “revolução colorida” de Minsk contra o Presidente bielorrusso, em simultâneo à neutralização de algumas redes “ucronazis” em território russo, assim como a neutralização de Navalny, agora considerado como terrorista tal como as organizações que o apoiam, é um volte-face em relação às ingerências e manipulações do “hegemon”, até por que esses enredos têm que ver com os enredos fundamentalistas islâmicos, desde os acontecimentos nos Balcãs, no Cáucaso e em outros lugares desde a China Ocidental, até ao Médio Oriente Alargado e África, passando pela Ásia Central…

F:\PRODUÇÕES\2021\MJ - MAI 21\MINSK-KIEV - 04..jpeg

Why’s The West Covering Up The Foiled Belarusian Coup Attempt? – Andrew Korybko – The Hybrid War On Belarus – The ongoing Hybrid War on Belarus could have taken a dramatic turn for the worse had the Russian security services and their Belarusian counterparts not foiled an assassination and coup attempt against President Lukashenko over the weekend that was being planned for the very near future. President Putin remarked about this near the end of his approximately 1,5-hour-long annual address to the Federal Assembly on Wednesday, wisely using the global attention afforded to him during this time to raise widespread awareness of this scheme. The Russian leader even remarked how strange it was that the West has been mostly ignoring this dramatic development despite the potential consequences of its successful implementation predictably being disastrous for the Eastern European nation. – http://oneworld.press/?module=articles&action=view&id=2011

Nos oceanos e nos mares a Rússia desenvolve exercícios uns atrás dos outros, alguns deles com outras forças navais de seus aliados multipolares, está a ponto de acabar o Nord Stream II que o “hegemon” que ver “morto” (Mar Báltico e já nas águas territoriais da Alemanha) e na Crimeia defende seu território mostrando seu surpreendente dispositivo militar e operativo, agora sem paralelo.

 

04– A Ucrânia, alvo das sucessivas ingerências e manipulações do “hegemon” que atiçaram os neonazis e os neofascistas, sob o ponto de vista económico é cada vez mais um insuportável cancro, um estado-pária à mercê das intempéries.

F:\PRODUÇÕES\2021\MJ - MAI 21\MINSK-KIEV - 05..jpg

MILITARY SITUATION IN DONETSK PEOPLE’S REPUBLIC ON MAY 2, 2021 (MAP UPDATE) – https://southfront.org/military-situation-in-donetsk-peoples-republic-on-may-2-2021-map-update/

Ninguém quer ficar com um encargo dessa natureza, mesmo que se levem por diante e analmente os “Defender Europe” da NATO, pelo que a degradação económica vai ser cada vez maior, afectando cada vez menos as Repúblicas Populares do Donbass, Donetsk e Lugansk e ainda menos a salvaguardada Crimeia.

No território ucraniano, crescendo a repressão, crescendo a pobreza e o desamparo de tantas comunidades, novas explosões sociais estão efectivamente subjacentes e na forja.

O “apodrecimento” da situação interna na Ucrânia é um facto de peso que leva à decisão da Rússia não intervir militarmente, mas apresentar o argumento militar face à NATO, sobre a cabeça dos ucronazis!

F:\PRODUÇÕES\2021\MJ - MAI 21\MINSK-KIEV - 03..jpg

Moscovo inverte os papéis em Kiev – Thierry Meyssan – Enquanto os dirigentes da Otan exultam com o golpe de Estado de Kiev, que eles apresentam às suas opiniões públicas como mais uma revolução, a situação inverte-se no terreno. Em vez de um governo de trafulhas, fazendo escalar a parada entre Washington e Moscovo(Moscou-Br), cabe agora a vez aos agentes norte-americanos de exercer o poder, e de gerir a desordem que eles montaram. Ora, o país está arruinado e ninguém, seja quem for, conseguirá recuperá-lo rápidamente. A Rússia pode, agora, defender os seus interesses sem ter que assumir o passivo de vinte anos de corrupção precedente. – https://www.voltairenet.org/article182413.html

Com a Bielorrússia a salvo, superada a “revolução colorida” de Minsk, a Ucrânia está cercada a norte, a leste e a sul, pelo que os “ucronazis” só têm a escapadela “natural” da Polónia, a oeste.

A NATO está a mobilizar 40.000 homens para o Exercício “Defender Europe 2021”, quando os dados do tabuleiro europeu estão agora de feição em benefício do jogo estratégico de Putin, que além do mais é inteligente em relação a todos os contraditórios resultantes do desgaste das opções a oeste, enquanto consolida unidade e coesão geoestratégica a nível interno e no empenhado relacionamento com seus aliados emergentes multipolares por toda a Eurásia!

Quando as “revoluções coloridas” e as “primaveras árabes”, interligadas às expressões da NATO, já estão a ser consideradas pelo universo multipolar com o Presidente Putin à cabeça, de contrarrevoluções terroristas, torna-se tarde para a “primavera” em Minsk, o “inverno” chegou de forma expansiva a Kiev, pois a NATO, derrotada no Afeganistão, está a fragilizar-se, ou mesmo à beira de se implodir!…

Não será o “Defender Europe 2021”, enquanto exercício ou manobra essencialmente militar e de inteligência, que será motivo suficiente para que evitar que tal aconteça, tendo em conta a deriva cada vez mais evidente da Turquia!

A abortada “primavera” de Minsk, está a reverter-se no expansivo “inverno” de Kiev e o “efeito boomerang” está a trazer consequências de grande espectro para e por toda a Europa, a começar no imparável incremento das tensões internas das mafiosas oligarquias europeias e dumas com as outras!…

 

Luanda, 2 de Maio de 2021.


Algumas leituras de suporte:

• Discurso anual do Presidente Putin perante a Assembleia Federal – https://br.sputniknews.com/russia/2021042117373857-discurso-anual-do-presidente-russo-vladimir-putin-perante-assembleia-federal/; https://dossiersul.com.br/putin-reescreve-a-lei-da-selva-geopolitica-pepe-escobar/;

• A ameaça está confirmada… para todosErwan Castel, 21 de abril – https://mirantedaeurasia.wordpress.com/2021/04/22/a-ameaca-esta-confirmada-para-todos/?fbclid=IwAR3cmnn8K_siVoPfxiOqzBaxUNdZrARas0tiqihXZ6m5EFkVTusrJjIieic;

• Imperialismo prepara em Minsk uma revolução colorida, como na Ucrânia? – JOSÉ REINALDO CARVALHOhttps://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/mundo/66276/imperialismo-prepara-em-minsk-uma-revolucao-colorida-como-na-ucrania;

• Tratado da União da Bielo-Rússia e da Rússia. – https://www.sputnik-consulting.com/single-post/tratado-da-uni%C3%A3o-da-bielo-r%C3%BAssia-e-da-r%C3%BAssia?fbclid=IwAR26aMUugtoKBEiG7aZw20PeuAMQDyO3uP5hx5jH4iViQU5UGL-gyGTLnbc;

• Aparecen nuevos detalles del Golpe de Estado contra Lukashenko en Bielorrusia – https://diario-octubre.com/2021/04/20/aparecen-nuevos-detalles-del-golpe-de-estado-contra-lukashenko-en-bielorrusia/;

• Lukashenko afirma ter bloqueado tentativa de homicídio dos Estados Unidos – https://ionline.sapo.pt/artigo/731737/lukashenko-afirma-ter-bloqueado-tentativa-de-homicidio-dos-eua?seccao=Mundo_i;

• Trama-se, em silêncio, a grande guerra – https://outraspalavras.net/outrasmidias/ucrania-trama-se-em-silencio-a-grande-guerra/;

• Por trás do veto americano ao gasoduto báltico – https://outraspalavras.net/geopoliticaeguerra/por-tras-do-veto-americano-ao-gasoduto-baltico/?fbclid=IwAR3d8mq6–y6nhy5eGeeTSGW1SJD-CUBn9O4o0xfETrL1ynOdHbaJHLLWLw;

• Retirada russa da fronteira ucraniana – https://kzclip.com/video/bWBf_Mos-FY/retirada-russa-da-fronteira-ucraniana.html;

• Ex-presidente ucraniano desvenda por que não “derrotou” exército russo na Crimeia – https://br.sputniknews.com/europa/2018041210966186-ucrania-derrotar-exercito-russo-crimeia/;

• New recruits join the «defenders of Europe» – https://www.thecitizen.co.tz/tanzania/oped/new-recruits-join-the-defenders-of-europe–3364824;

• NATO Exercises – https://www.nato.int/cps/en/natohq/topics_49285.htm;

• Sputnik/NATO – https://it.sputniknews.com/tags/organization_NATO/;

• DEFENDER-Europe 21 activities begin this month, include two dozen nation – https://www.europeafrica.army.mil/ArticleViewPressRelease/Article/2537359/;

• Russia orders troop pullback but keeps weapons near Ukraine – https://www.startribune.com/russia-orders-troop-pullback-but-keeps-weapons-near-ukraine/600048822/;

• Ex-Presidente ucraniano desvenda por que não “derrotou” exército russo na Crimeia – https://br.sputniknews.com/europa/2018041210966186-ucrania-derrotar-exercito-russo-crimeia/;

• MILITARY SITUATION IN DONETSK PEOPLE’S REPUBLIC ON MAY 3, 2021 (MAP UPDATE)https://southfront.org/military-situation-in-donetsk-peoples-republic-on-may-3-2021-map-update/;

• Ultimátum diplomático ruso al «hegemón» – https://frenteantiimperialista.org/ultimatum-diplomatico-ruso-al-hegemon/.

Comments are closed.